Ohpera Blog | design, art lifestyle, viagem e sonhos.

NYC | Roteiro frenético de 5 dias.

Assim que comprei minha passagem pra Nova York, saí pulando de alegria – claro, mas logo depois disso, comecei a pesquisar loucamente tudo que ia fazer por lá. Pois seriam apenas 5 dias completos na cidade e eu não queria perder nem meia hora sem saber o que fazer em seguida. Realmente é como dizem, NY tem tudo e mais um pouco pra fazer, pra vários perfis de turistas. Se você curte turismo de compras, uma coisa mais cultural, turismo gastronômico então… É cidade muito completa, então tentei aproveitar um pouco de tudo, dentro da possibilidade financeira que estávamos – afinal, com o dólar nas alturas, tivemos que dançar de acordo com a música. hahaha Ou seja, definitivamente, essa não foi uma viagem de compras.

Vou separar dia-a-dia da nossa viagem, pois achei uma roteiro bem legal pra quem tá indo pela primeira vez à esse destino. Mas lembrando que roteiros são feitos para serem quebrados e nós mesmos fizemos isso. Cheguei lá com um roteiro perfeitinho, mas você acaba encontrando alguma coisa muito legal no meio do caminho e isso é que o melhor da viagem, as descobertas. ;) Então, sem drama!

Antes de mais nada, três coisas MUITO importantes! 1) NY é muito bem organizada, em relação às quadras e ruas, mas ainda assim é um lugar enorme! Então é muito importante que você estude o mapa da cidade antes de viajar para não ficar tão perdido. Nós ficamos hospedados na casa de um amigo, no Chelsea, próximo ao High Line Park – que é uma localização excelente.

nyc-five-boro-streetsmart-map-back

Esse foi exatamente o mapa que usei durante toda a viagem. Ele é muito fácil de ler e tem marcado todos os pontos turísticos, comprei por U$6 numa banca de revista lá. Sim! Eu adoro mapas de papel. Mas existem vários outros na internet e você também pode usar o Google Maps pelo seu celular. :)

2) Se informe ao máximo, antes de chegar na cidade, como ir do aeroporto até seu endereço de estadia. Isso vai te fazer poupar bastante tempo e dinheiro. Nós descemos no JFK e fomos aprendendo lendo e perguntando por lá, nos saímos muito bem. Mas foi questão de sorte.

3) Se você pretende se transportar de metrô durante sua viagem, o que eu acho mais inteligente, assim que possível, compre um MetroCard ilimitado. Você paga U$ 35 (por pessoa) e pode andar de metrô quantas vezes quiser, num período de 7 dias (também tem pacotes para mais dias). Aqui nesse link você aprende como fazer.

A seguir, listei o roteiro que fizemos em cada dia, que não precisa ser seguido nessa ordem. A minha lógica foi: em dias mais frios, passeios em locais mais fechados: museus, lojinhas e etc. Em dias menos frios, passeios mais externos: parques, praças, ruas e etc.

Dia 01:
Primeiro dia de viagem é sempre aquele momento de se ambientar e aprender um pouco sobre localização, então saímos caminhando até a 5a avenida até chegar no Rockfeller Center (um lugar que eu queria MUITO conhecer, pois adoro o filme Esqueceram de Mim <3). Nesse momento, também compramos ingresso para subir no Top of The Rock no horário de pôr do sol. Também nesse dia conhecemos a Apple Sotre, o Sul do Central Park e a Times Square (à noite).

DCIM100GOPRODCIM100GOPRO

Dia 02:
Nesse dia aproveitamos pra fazer todos os passeios do sul de Manhattan: World Trade Center Memorial, Estátua da Liberdade, Battery Park, South Ferry Station. Pelo o que percebi, é a área mais empresarial da ilha. Inclusive  é lá que fica a badalada Wall Street, onde muitos profissionais sonham em trabalhar. O Financial District é um bairro que mistura história com o coração financeiro da cidade. É lá que fica a Trinity Church, a Bolsa de Valores de Nova York, a escultura Charging Bull, e ainda o Federal Hall — onde George Washington fez o seu juramento como primeiro presidente do país. Foi bem interessante ver essa correria.

É lá também onde fica o memorial do 11 de Setembro, que é um local bem triste de visitar, mas também é muito incrível. O museu é um espetáculo a parte, que novamente, apesar de triste, vale muito a pena conhecer. Esse custa U$24 e não é preço sugerido.

49 50 51 53 54 55 56 57 58

Dia 03:
Nesse dia fez tanto frio logo cedo, que decidimos que seria um dia de museu. Outro lugar que eu queria bastante conhecer era o Museu de História Natural (aquele do filme Uma noite no museu). Na verdade foi um pouquinho decepcionante, achei que ele fosse BEM maior e fosse bem mais divertido, mas ainda assim valeu a visita. Aproveitamos esse dia pra conhecer outro trecho do Central Park e já seguimos para o Metropolitan, outro museu – esse sim, GIGANTE e INCRÍVEL! Fiquei muito impressionada. E saindo do Metropolitan, seguimos para o MOMA (The Museum of Modern Art), que merece um post só pra ele.

Duas dicas aqui: nem todo mundo sabe disso, mas a maioria dos museus em NY (não sei nas demais cidades dos EUA) vendem a entrada em preço sugerido, que normalmente custa entre U$20 e U$27. Mas como disse, o preço é sugerido. Se você pagar U$1, tudo bem! No Metropolitan, por exemplo, pagamos U$5 cada um. ;)

13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Dia 04:
Esse foi um dia bem doido, pois o Lucas passou o dia inteiro numa conferência e eu saí andando bem sem destino – o que foi muito bom também! Aproveitei para repetir alguns lugares que já tinha ido, mas queria ver de novo, como Times Square (dessa vez de dia), Rockfeller Center e algumas ruas famosas, que adorei passar repetir. Conheci a Madison Square Park, onde você pode comer no famoso Shake Shack (delícia e preço bom!), Flatiron building, Soho (que também AMEI) e depois fui para New Jersey acompanhar o maridão na conferência.

25 26.1 26 27 28 29 30 31 32

Dia 05:
Começamos o dia conhecendo o High Line Park, que estava escalado para outro dia do roteiro, mas acabou não dando tempo. Só que eu tinha ouvido falar TÃO bem desse lugar, que quis muito passar por lá – e valeu SUPER a pena. O local era um antigo trilho de trem, que foi desativado e transformado em um parque alto. Lindo de morrer. E o melhor, ficava a duas quadras de onde estávamos hospedados.

Separamos o domingo para conhecer o Brooklyn e adjacências, que era outro lugar que eu queria MUITO conhecer. E não tenho mais dúvidas: valeu MUITO a pena! ♥ Gostaria inclusive de ter ficado mais tempo, pois eu estava doida para explorar mais e, principalmente, conhecer um bairro, que começa a entrar no roteiro cool da cidade — Greenpoint. As ruas todas num climinha europeu e gente muito bacana pelas ruas. Ele fica a uns quinze minutos a pé do miolo de Williamsburg e começa a ficar bem legal no cruzamento da Greenpoint Avenue com a Franklyn Street. 

Antes de programar seu passeio por Greenpoint saiba que as lojinhas só abrem depois do meio-dia (e ficam abertas até às 20h). Acho que o bom mesmo é chegar por lá no final da tarde pra curtir as lojinhas e esticar numa das dezenas de bares que tem na região — todos bem hipster-cool, ou seja, perfeito para ver um pouco da gente interessante do lugar. Esse foi realmente um dia incrível para fechar com chave de ouro essa viagem. :)

33 53 35 36 37 3951 40 52 42 43 44 45