Ohpera Blog | design, art lifestyle, viagem e sonhos.

Manaus: onde ter duas experiências incríveis.

Comecei  aqui no blog uma mini série de posts contando sobre minha viagem à Manaus e o quanto foi legal viver esses dias de detox em meio à natureza. Sem contar que percebi o quanto é um lugar legal pra viver experiências incríveis. Por isso, hoje vou contar um pouquinho sobre uma das experiências mais legais que já vivi em viagens: abraçar botos cor de rosa e atravessar o Rio Negro de SUP.

Ok. Se você já esteve pelo Sea World, na Disney, pode achar que  não é nada demais. Mas “alôu!” são botos cor de rosa e eles só existem no Amazonas, e de maneira muito escassa, diga-se de passagem. Já começando pelo transporte, até chegar no local dos botos, foi uma aventura. Eu ainda tive a sorte de conseguir “abraçar” esses fofinhos. Claro que existem vários cuidados: não pode pegar no bico, nem na cabeça, só no corpinho. Aliás, “corpinho” é um elogio, porque esse boto é muito do gordinho. ^ ^

Há quem diga que isso faz mal ao animal e etc. Mas não vi mal algum! Eles ficam livres no rio e só vêm até a gente porque um carinha o fica atraindo com um peixinho. E percebi que eles têm o maior cuidado do mundo com os bichos. Ou seja, o boto fica livre e ainda ganha um lanchinho durante o dia. <3

20 19 18 17

Essa é a Bia, uma indiazinha que fez amizade comigo. Ela amou meu cabelo e não me largava mais. Queria passar a mão nele o tempo todo. Um amor! <3 E rolou um love com minha câmera também, ela me pediu pra tirar várias fotos dela. Acreditem, essa não é a única foto dessa fofa.

16 15 14

Pausa pro almoço feita, seguimos para um outro local onde pudemos nos perder e fazer stand up paddle. Como nos atrasamos muito, perdemos 55 minutos desse “passeio” que duram 2 horas. A ideia é atravessar o rio com o SUP, curtir o rio do outro lado e voltar. O que, segundo o instrutor, demorariam 2 horas. E como já era fim de tarde, não daria mais tempo, pois é BEM perigoso estar no rio depois que escurece. Decidimos tentar mesmo assim. E conseguimos! No final, agradecemos por não ter desistido, pois teríamos perdido uma das melhores experiências da nossas vidas. O pôr-do-sol foi um espetáculo e conseguir cumprir o desafio de atravessar o rio em quase metade do tempo foi ainda mais legal.

Então anota aí: se for à Manaus, NÃO deixe de fazer  SUP no Rio Negro. É totalmente diferente de remar na praia e é o que deixa tudo muito mais legal – o desafio. 

Agora me diz, tem como voltar estressada de uma viagem dessas? Tá curtindo os posts? Então se liga que ainda tem mais. No próximo post vou contar um pouquinho como foi ficar dois dias de barco no Rio Negro visitando comunidades indígenas ribeirinhas. Não perde. :)

  1. Abilio Vasconcelos

    29 de setembro de 2015 at 12:28

    Show de bola! Deve ter sido ótima essa viagem! ANOTADO aqui na lista de desejos. Valeu!

    1. Myrella

      5 de outubro de 2015 at 8:11

      Anota mesmo! E na primeira oportunidade, corre pra lá. :D

  2. Maísa Lago

    29 de setembro de 2015 at 21:47

    Que massa! Sou de Manaus e nunca fiz sup no rio e nunca conheci os botos, acredita? Esse post me deixou mega animada e empolgada p fazer tudo isso!!

    1. Myrella

      5 de outubro de 2015 at 8:12

      Bem normal, Maísa. hahaha Eu moro em Recife e nunca fiz o passeio de Catamaran que todos os turistas fazem. Mas que bom! Não deixa de ir mesmo não, pois é uma experiência incrível. :))))

  3. Luísa Ferreira

    29 de setembro de 2015 at 21:52

    Que delícia essa viagem, gata! Tá na minha wishlist há tempos. Doida pra ler o resto <3

    1. Myrella

      5 de outubro de 2015 at 8:13

      Que ótimo que gostou, Lu! <3 Assim que puder, vai lá. É melhor do que eu contei. hahaha

  4. Rapha Aretakis

    30 de setembro de 2015 at 9:36

    Delícia de relato! Quero ir para Manaus djá! :D

    1. Myrella

      5 de outubro de 2015 at 8:13

      Simbora, Rapha! E me chama, que eu vou de novo. kkkkk

Comments are closed.